Nos Bailes da Saudade (CARLOS ALBERTO DE AGUIAR)



Carlos Alberto de Aguiar
Jornal Diário do Pará - seção de Cartas - 29/mar/2005

De repente parecia que a marca musical bregueana a partir de 2000 seria o tecnobrega, mas uma das várias vertentes no nosso brega calypso. Muito embora tenha sido lançado em 1999 pelo músico Black Téo, o tecnobrega - uma fusão que misturou o house com o brega -, só veio a se propagar a partir de 2002, através do primeiro CD lançado pela banda Fruto Sensual. Na verdade, quando o Black Téo lançou o CD produzido pelo Luis Nascimento, a proposta era o da evolução do Brega Pop. Isso levou um público muito grande, acostumados a irem para a festas dançar, a procurar outras alternativas. O aceleramento do ritmo denominado tecnobrega afastou o amante da dança a dois das festas, já que é quase impossível dançar bem agarradinho. Com isso, os Bailes da Saudade, que já vinham sendo realizados de maneira tímida, voltaram com muito mais intensidade, sendo realizados todos os finais de semana.

{mosgoogle}

Sede de clubes dançantes que já não davam mais festas há tempos, hoje voltaram a realizar os bailes, cujo público é cada vez maior. O Baile da Saudade é a volta dos grandes sucessos dos bregas das décadas de 70, 80 e 90 denominados de flashes brega. Nos bailes dança-se de tudo um pouco: desde o flash brega, que é mais forte, até a discoteque, passando pelo pagode, lambada e música lenta, sem o aceleramento do ritmo, mantendo a originalidade da música na hora de dançar.

Vale ressaltar que nem tudo que as emissoras comerciais tocam significa que é só aquilo que se está produzindo em Belém em termos de brega calypso e nem tão pouco o que certas aparelhagens tocam nas festas. Nestas, as músicas, além de estarem superaceleradas, os casais não conseguem dançar mais do que 10 músicas seguidas, sendo repetitivos demais. O brega pop melody nunca deixará de ser o mais preferido. Toda moda tem um fim. Acaba. É importante que cada intérprete e compositor continue em sua linha, cantando o seu estilo sem se preocupar com modismo ou com o que está na mídia, o que não significa dizer que não se deva inovar. A Banda Calypso, por exemplo, não deixou de gravar o seu estilo e é sucesso, ao lado da Companhia do Calypso, Banda da Loirinha, Wanderley Andrade, Kim Marques, Juca Medalha, dentre tantos outros.

O romantismo lírico é o tema preferido em qualquer estilo musical. Não é à toa que muitos artistas da MPB também são ortulados de brega, pelos simples fato de cantarem o amor em suas várias formas. Por conta dessa explosão musical que vem se tornando cada vez mais presente através dos Bailes da Saudade, nossas gravadoras regionais já lançam no mercado, principalmente os selos independentes, os CD´s de coletânea só de flashes bregas, como o CD lançado recentemente pela Tetéia Produções. Até a aparelhagem Rubi também lançou o seu CD nesta linha com um repertório variado de grandes sucessos da década de 90.

Uma outra aparelhagem teve seu nome recriado para Pop Saudade. Com isso, os bregas da linha pop-melody voltam a ser os mais executados nos programas das emissoras de rádios em Belém e em Estados do Nordeste. Hoje, em todos os cantos de Belém, de domingo a sábado, a boemia da velha guarda se faz presente nos bailes da saudade. A essência da arte de se dançar agarradinho esta de volta, graças ao tecnobrega.